Seja bem-vindo
Macaíba,13/06/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Apple Intelligence: chegou quem faltava na era da Inteligência Artificial

Fonte: CNN
Apple Intelligence: chegou quem faltava na era da Inteligência Artificial Foto: Justin Sullivan/Getty Images

Entre vários anúncios, a Apple acabou de divulgar a Apple Intelligence, inteligência artificial proprietária da Apple, em parceria com o ChatGPT

Pra todo mundo, AI é a abreviação de “Artificial Intelligence”. Pra Apple AI, agora é “Apple Intelligence”. Eles fizeram o anúncio nessa segunda-feira (10) direto do Apple Park, a casa da Apple, em Cupertino, na Califórnia, durante o WWDC, que significa Worldwide Developers Conference.

É um evento que é feito todo ano voltado principalmente pros desenvolvedores que ajudam a empresa a criar novos programas e apps. O evento reuniu centenas de desenvolvedores, jornalistas e produtores de conteúdo e durou quase duas horas. Vários anúncios foram feitos. Nos mais interessantes e úteis, a nova inteligência artificial tá nos centro das discussões. O CEO da Apple, Tim Cook, subiu no palco pra dizer que a empresa teve a preocupação de lançar uma IA que fosse poderosa, intuitiva, integrada, pessoal e privada.

O que muda na prática?

Bastante coisa, mas eu separei aqui alguns exemplos práticos, olha só:

macOS: a atualização do sistema operacional vai chamar “Sequoia”. Novas funções pra otimizar o ecossistema de quem usa os produtos da marca também foram mostradas com o novo sistema. Agora, quem tiver usando um MacBook, vai poder abrir a tela do celular na área de trabalho do computador. Isso vai permitir, por exemplo, o compartilhamento muito mais rápido de fotos e vídeos, e o melhor: o celular fica bloqueado durante essa interação. Outra facilidade legal é que, na hora de empurrar uma janela pra fora da tela, o tamanho dela é ajustado automaticamente pra caber certinho sem ficar nada pra fora da área de trabalho.

Siri: Com o novo sistema dentro do iPhone, dos iPads e MacBooks, a Siri, assistente de voz da Apple, deve entender pedidos informais e manter conversas mais naturais. Ela vai conseguir atender a pedidos tipo: “Siri, toca o podcast que a minha irmã me mandou esses dias” ou “me mostra a foto que eu tirei na praia com uma bermuda de flores coloridas”.

iPad: A Apple Intelligence vai ter funções bem impressionantes, como entender uma anotação escrita à mão num iPad. A inteligência vai entender o padrão da escrita do usuário e corrigir palavras escritas de um jeito errado ou gerar blocos de texto com a própria letra de quem escreveu, tudo gerado pelo novo sistema. Ou seja, não é “só” gerar textos, é escrever essas palavras com a letra de quem tá com o Ipad na mão. O recurso vai chamar “Smart Script”. Enfim, o iPad vai ganhar um app nativo de calculadora e recursos de correção de cálculos matemáticos mesmo se eles forem escritos à mão com a caneta do iPad.

E-mail: Depois de escrever um e-mail, as opções da mensagem vão permitir que o autor tenha o texto reescrito em diferentes tons. Automaticamente, o software vai poder deixar a escrita mais informal, mais séria, mais engraçada e por aí vai.

Fotos: Não que seja uma grande novidade no mercado, mas a nova IA da Apple vai trazer a possibilidade de correção automática de cor e luminosidade das fotos, por exemplo, e vai dar também pra tirar da imagem pessoas que você não quer mostrar, objetos que não deviam tá por ali, só pra falar de algumas possibilidades. O app fotos, aliás, mudou bastante de cara, tendo o que a Apple chamou de “maior redesign” da história. Só pra lembrar, ele foi criado com o primeiro iPhone, lá em 2007.

Emojis: A Apple anunciou o genmoji, uma tecnologia pra criar novos emojis a partir de comandos de texto. Mais uma funcionalidade que aparece em sistemas da concorrência.

AirPod Pro: o mini fone de ouvido sem fio da Apple agora vai reconhecer movimentos de “sim” e “não” com a cabeça. Vai dar, por exemplo, pra escolher atender ou não uma ligação sem falar nada ou encostar no fone.

Vision Pro: os óculos inteligentes ganhou um sistema operacional novo e passagem pra chegar em novos países, tipo China, Austrália, Reino Unido, França e Alemanha. Nada de Brasil, por enquanto.

iPhone: o sistema operacional dos iPhones também ganhou umas atualizações. Agora dá pra mudar as cores dos apps, por exemplo, e pedir pro próprio celular fazer uma seleção de fotos da galeria que podem ficar boas como fundo de tela tanto do celular quanto do Apple Watch, por exemplo.

Esconder apps: essa atualização faz todo sentido pra quem não quer deixar alguns apps à mostra na tela de início se outra pessoa estiver usando o iPhone. Vai dar pra criar pastas secretas, como no Android.

Outras funções: As mudanças chegaram até na conta do restaurante. Agora vai dar pra rachar o total com alguém que pagou tudo só aproximando um iPhone do outro, sem nem precisar ter o número da outra pessoa registrado. O app “senhas” promete facilitar a vida de pessoas como eu, que vivem esquecendo os logins dos apps. Agora, tudo vai poder ficar registrado no mesmo lugar, e eles prometem que isso vai acontecer com toda segurança possível pra esses dados super sensíveis.

A Apple explicou que por uma questão de poder de processamento, a Apple Intelligence vai rodar só nos iPhone 15 pro, os melhores (e mais caros) aparelhos e nos iPads e MacBooks mais recentes. A inteligência artificial da Apple deve tá disponível em setembro, junto do provável lançamento do novo iPhone. Agora é esperar pra saber como tudo isso vai rodar na prática e ver como vai ser a entrada de cabeça da Apple no mercado de AI: Artificial Intelligence, ou Apple Intelligence… entenda como quiser!





COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.